sábado, setembro 16, 2006

Carta fora do baralho!

Mensagem: " Não estejas triste, não estás sozinho, eu estou aqui do teu lado... Procura-me..."
  • Quando nascemos não estamos preparados psicologicamente para o mundo onde nos colocaram. Quando nascemos somos todos iguais, somos puros de qualquer mesquinhez, somos puros de espiríto. O que é que nos acontece para que sejamos as pessoas que somos mais tarde? Somos violados pela vida... Abrimos os olhos... O que observamos?? Afecto? Era bom, seria um Mundo maravilhoso, mas nem todo o ser humano tem esse privilégio... Somos também corrompidos pelos outros que já estão violados, viciados... Mas nem tudo é assim tão triste e feio, existem imensas coisas lindas na vida que por si só já vale a pena nascer, respirar, abrir os olhos... Mas neste post tenho como objectivo escrever sobre o "desprezo social", uma das coisas mais desprezíveis no mundo, na sociedade e que daqui advém muita coisa destetável... Visto metafóricamente nós somos o baralho, um conjunto de cartas... Porque é que existe certas cartas que insistem em nos colocar fora do baralho??? Pode-se identificar estes fenómenos por racismo, xenofobia ou simplesmente acham-te "diferente" por alguma razão estúpida que eles descobriram por si mesmos. No fundo cada pessoa é diferente da outra, tanto como "pessoa" como fisicamente... Porquê esta necessidade de se sentirem superiores aos outros por alguma razão meramente insignificante? Toda a carta merece ter o seu destaque no baralho pelas suas características próprias e não sendo desprezada pela sua identidade. Se pensassem um bocado... Se utilizassem esses neurónios que lhes foram dados quando foram concebidos em algo de produtivo... Se retirares essa carta para que serve esse baralho??!! Para nada, não se pode jogar sem essa carta, ela é indispensável e nada a consegue substituir na íntegra... No mundo real é a mesma coisa. Porque é que desprezas o outro? Não te deixes levar por convenções, tradicionalismos, pensa por ti mesmo, se tivesses na mesma situação, tenho certeza que não estarias nas 7 maravilhas... Não vires as costas, oferece a mão, partilha a tua pessoa com ela... Se levaste uma "bofetada" na cara não entres em erupção, não te tornes igual à pessoa que te a deu e sê generoso o suficiente para dares uma oportunidade para essa pessoa se redimir. És sempre recompensado, nem que seja para viveres melhor contigo mesmo. Eu pessoalmente não entendo porquê o desprezo que vejo pelas pessoas de "cor" (até porque branco é insonso :P), ou por ser de outra nacionalidade, outro extracto social, preferências sexuais diferentes... Não sou perfeita, ninguém o é... Admito que desprezo alguns tipos de pessoas, mas não chego ao ponto de as ofender, respeito-as, são como são, não sendo obrigada a conviver diáriamente e de forma intíma com elas, mas mesmo assim serei capaz de lhe estender a mão se realmente precisarem, seria incapaz de lhes virar as costas... Admito a minha fraqueza, não consigo conviver por muito tempo com pessoas mimadas, demasiado infantis, convencidas, que conseguem desprezar pessoas que não lhes deram motivos para tal (só pelo facto de existirem)... É como tudo, ainda tenho muito que aprender e evoluir como pessoa... Já fui carta fora do baralho, mas dei-lhe a volta... Faço parte do baralho de pessoas maravilhosas e essas não me deitam de lado (espero eu :P) e por qui existe sempre espaço para mais uma carta!!!
TU?! Han???

2 comentários:

Nuno disse...

Hum.. Se puder fazer parte do baralho.. kt mais cartas o baralho tiver, mais forte sera.. e posso sp aprender alguma coisa com um As.. ou a dama..

DC disse...

Eu sou uma carta fora do baralho! com orgulho posso dizer :)

N gosto de ser mais um cordeiro neste rebanho, n gosto de ser igual a tantos outros, gosto de ser diferente...

N interessa se ninguém gostar de mim...n sou do tipo k precise de mt afecto..Só preciso de mim mesmo, e kem kiser k me siga os passos.
N dou os passos para agradar a terceiros, ou para fazer o moralmente aceitavel ou pretendido, dou os passos k kero, como kero e qd kero, ando como um lobo solitário, um vento sem rumo, pq eu sei k n tenho rumo. Ou melhor, tenho! o meu rumo! o rumo do desnorte, o rumo sem pensar no futuro, mas ao menos fui eu k o escolhi, e n é o rumo k outros keriam keu tivesse...

Fui e sempre serei eu mesmo :)